sábado, 30 de maio de 2009

Afinidade

Dialogo é o que realmente importa. Troca-se experiencias,
descobre-se afinidades, diferenças, gosto, opção.
Impressionante como sem haver estabelecido o dialogo,
no monólogo, emude-se pela igualdade. Um não disse, nada falou.
O outro a descrever fatos, experiencias, gosto, sensação.
Surpresa, pois tem-se a certeza que aquela é a sua propria descrição.
Parecendo patético não ter o que falar, apenas " IDEM".
Em um cumplice olhar, procura-se a gozação.
Seria possivel, haver de ti uma nova versão?
Engole-se o café mesmo quente, para que se for sonho, volte daquele mundo.
A boca queima, arde. Não! Aquilo estava acontecendo. E qual a definição?
Uma campainha toca... grita, avisa... não busque saber o que ,ate então.
Claro, nada perfeito. Sempre tem que ter...nesse caso dois " SENÂO..."
Olhando -se no fundo da alma... Não. Segundo as 'memorias postumas", não havia dado certo.
Forja-se olhares. Aprendido essa lição. O que se ve? Desejo, admiração...atração.
Obvio, carne... e sem meias palavras é jogado a questão.
Surpresa. Não é isso não. Sentimentos são. Não haveria ação.
Choque. Qual era o problema. Que confusão.
Ainda a pouco mera conformação... e agora...DECEPÇÃO ??

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Metamorfose

No sofrimento muito se aprende. Mas já não há mais dor.
Não há mais o que lamentar. Foi-se aquele primeiro instante de silencio.
Acabou a revolta pelo tão procurado e não encontrado amor.
Ciente apenas que o dia renasce a cada dia alheio a tudo que anseio.
Pensando bem, não foi de todo mal. Como antigos Bandeirantes.
Embrenharam-se em uma caminhada as cegas, desbravaram ....
Quanta terra produtiva e fértil. Encoberta por matagais...
Os perigos eram lendarios, os reais eram vencidos...
Assim, como pioneira dessa terra, minha sim, mas tão desconhecida,
Desbravei uma pessoa encoberta por medos lendarios e os reais vencidos.
Que terra produtiva. Ocultava pedras preciosas. Quanto valor escondido.
Aberto um novo livro. Encerrado um fascículo. Que orgulho pela dignidade como foi feito.
Iniciou-se uma enciclopédia. 1 livro é pouco, 1 fascículo não basta.
Muito tem-se que catalogar. Tudo editado. Arquivado. Que bom!
Fica na biblioteca, para consulta póstuma. Mas a receita já aprendeu-se de cor.
Afinal todo livro tem seu valor.
Orgulho de se ter descoberto tão grande. Uma imensidão oculta.
O melhor... Tudo proprio...Nada dividido... Auto suficiente.
Se a felicidade está nisso, não se sabe. Os momentos passam a ser opcionais.
Sem culpa, sem medo, sem laços. O que importa é consciencia dos valores vitais.
SE é pouco, se basta, ninguém sabe. Se é tudo , se é falho, ninguém viu.
Paga-se o preço, arrisca-se. Ja provou-se um lado, mas do outro atraiu.
E a vida assim transcorre. Sem emoções, muitos dirão. A emoção estara no momento.
Na corda bamba da duvida, prefiro os pés no chão. Não se gasta sentimentos.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Um artigo para aprender...

Ouça o que Oprah Winfrey tem a dizer sobre os homens.

-Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe.
-Se ele não te quer, nada pode faze-lo ficar.
-Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu
comportamento.
-Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
- Para de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.
-Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você
encontre um que realmente te faz feliz.
-Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia,
"foda-se, mande pro inferno, esquece!", vocês não podem "ser amigos". Um
amigo não destrataria outro amigo.
-Não conserte.
-Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está
mesmo. Não continue (a relação) porque você acha que "ela vai melhorar"
-Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas
ainda não estiverem melhores.
-A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.
-Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres
diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então,
porque ele te trataria diferente?
-Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
-Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar, faça um
escândalo.
-Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
-Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
-Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você... mesmo se ele
tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
-Não o torne um semi-deus.
-Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
-Nunca deixe um homem definir quem você é.
-Nunca pegue o homem de alguém emprestado..
-Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
-Um homem vai te tratar do jeito que você permita que ele te trate.
-Todos os homens NÃO são cachorros.
-Você não deve ser a única a fazer tudo... compromisso é uma via de mão
dupla.
-Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. não há nada
precioso quanto viajar. veja as suas questões antes de um novo
relacionamento.
-Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar...
uma relação consiste de dois indivíduos completos.. procure alguém que irá
te complementar.. não suplementar.
-Namorar é bacana. mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
-Faça-o sentir falta de você algumas vezes... quando um homem sempre sabe
que você está lá, e que você está sempre disponível para ele - ele se
acha...
-Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice (co-assine) de
um homem.
-Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você
precisa. Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros...
-Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam).
você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas, e outras
mulheres se prepararem.
-O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que
são abusivas e lesivas: Dr. Phill
-Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e
se um homem te destrata, é ele que vai perder uma coisa boa.
-Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o
único.
-Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções. Faça a escolha
certa.

Ladies, cuidem bem de seus corações..."

Day after

O som insistente tras de volta de um sono, ou instante de ausencia espiritual.
Deveria agradecer por mais aquele dia, onde apesar do espirito ter vagado, retornou.
Retornou...trazendo com ele lembranças que não deveriam voltar.
Trazendo com eles fatos que não te podem acrescentar.. aliviar.

O que foi feito? Banalização, ah! mas foi com sinceridade, sem laços.
Hipocresia... quem falava em tercerização? O inventor dessa expressão...
Os minutos passam...O que fazer...Encarar o novo dia, apressar os passos.
Banho, café, cremes e perfumes... estomago vazio.Pronto! Derrotar mais um leão.

O inevitavel te acompanha. Maldita seja ... 'Comparação"
Mais que teimosia... dantes foi dito que não havia emoção, somente a razão
Porque insistir em algo que pode te levar a mais uns dias de depressão.
Ergue-se o queixo... olhe para o lado, continua la, a admiração.

Pelo tamanho, oponencia.. não propriamente a beleza. Ego inflado, faz-te mais alta.
Causa boa impressão. La dentro, ecoa uma voz baixa que te faz sentir menor que ela
mas não precisa ser assim. Houve clareza naquele ato. Temos que agir com educação.
Um telefonema de agradecimento, sem renovar esperanças, ajudar na cosncientização.

De forma formal e educada, parecendo apenas uma gravação, nenhum tom de emoção.
Crueldade? Não! Fazia parte, foi uma decisão. Podia mandar flores, mas pareceria gozação.
Pois ate nas flores encontra-se a diferença da sorte: Umas enfeitam a vida, outras a morte.
E vida era o que não havia. Nem morte. Um zumbi sem alma. Nossa! Um ser sem coração!!

TEXTO EXTRAIDO DE UMA CONSCIENCIA TRANQUILA E PONDERADA.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Bela e Fera

Um olhar de dentro pra fora.
Que lugar desarrumado!
Tudo tão confuso.
Onde estaria o dono daquele espaço?
Paredes de tintas mal escolhidas
Mobilia que não combinam entre si.
Uma escada que leva a lugar nenhum!
AbriR as janelas, remover traças e teias
Renovar, vasculhar gavetas, atear fogo em fatos e fotos.
Esterilizar ressentimentos e sentimentos tolos.
Pedras pequeninas não eram joias, eram vidros.

Um olhar de fora para dentro.
Um rosto empalidecido, com olheiras evidentes.
Olhos castanhos com nitida opacidade do cinza.
Grandes ossos mais evidentes, pela perda rapida de envolucros.
Uma altura mais acentuada pela finura sa silhueta.
Não era agradavel a visão 'fora para dentro'
Alheia a essa, nota-se admiração de olhos na visão 'dentro pra fora'

E porque não? Porque não entregar-se aquela admiração?
Por osmose, por ilusão ou por necessidade, pode-se absorver para 'dentro'
Gerar ilusão. ..Talvez, pelo medo de ser covarde e não corresponder.
O que pode-se perder quando não resta mais nada?
Mas pode-se ganhar por um momento auto afirmação.

Assim, doando-se a olhos vidrados que fazem sentir-se A PESSOA
Num misto de vontade e culpa. Vontade de tentar.
Culpa por saber que aquilo pouco ou nada muda no interior.
Ah, o ego! Sim...Inflado, massageado... Mas é um instante.
E acabou. E tudo volta a ser cinza.
O que ganhou-se? A certeza que não há nada de errado com o 'Externo'.
A convicção no 'Interno' que muito de você, não esta mais ali.

Arrependimento? Não. Foi bom. Mas continua tudo mau.
Não foi um retorno triunfal.
Foi um momento ... mais nada. NADA
Necessario se faz uma faxina primeiro.
So entra mobilia nova apos jogar tudo no lixo.
Fazer o Tudo virar NADA...Pro Nada voltar a ser Tudo.

TEXTO EXTRAIDO DE UMA HISTORIA VIVIDA SEM PAIXÃO, MAS COM MUITA RAZÃO.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Escombros

Passei a ser admiradora desse povo guerreiro que por forças maiores, perdem tudo... Uma casa muita vezes construida com suor, lagrimas... Objetos alcançados com esforços de uma labuta diaria... Uma coleção de cartas e objetos de valor meramente pessoal... Tantos que perdem um ente... Um pedaço de si...
Como encontram forças para recomeçar, voltar a sonhar... em que momento perdem a sensação do vazio, já que naquele lugar onde um dia foi seu sonho, ecoa apenas o soluço não contido em sua alma...
Onde achar coragem para dar inicio a remoção de tantos entulhos... Já que tudo era tão perfeito com tudo em seu devido lugar e o que restou apenas foram pedaços esmiuçados de vidros que pareciam ser 'VIDRO TEMPERADO" e descobre-se que partiu-se como "FRAGIL: CRISTAL"...
Onde esta o engenheiro daquela obra... Onde ele fez aquela fundação... Não foi planejado que a estrutura teria que ser resistente para qualquer abalo... Não...Talvez não havia a hipotese de ocorrer um terremoto naquele terreno...
Como recomeçam... Talvez, removendo os escombros, procurando-se primeiramente a propria identidade... Afinal, nada somos sem uma identidade... Precisa-se rebuscar o que eras antes daquela construção... Quais eram os planos... Onde estava investindo-se antes...
Uma confusão... Afinal, qual era a prioridade... Qual é a prioridade... Muitas vezes cada tijolo ali empregado, foi na força do braço... Forças se esvaem... Quanto tempo esmerando-se nos detalhes da pintura, na simetria da geografia... Desolação....
Passa-se tanto tempo olhando os escombros...remexendo nos entulhos... Buscando algo que possa ser salvo e motivar um recomeço...
Recomeçar... Por onde... Pra que ...Por quem...Pra quem...
Brava Gente !!... Ovaciono...
Não há o que recomeçar. Péssima engenharia.
Não há risco quando abre-se mão de reconstruir.
Solução : Achar uma gruta... Ja esta la a anos... Ja abrigou muitos desolados...
O preço desse aluguel... Solidão, frio, escuridão.... Mas sem competencia para fazer melhor, Passa assim ser por opção....
Não há sol, nem insolação. Não há companhia, nem decepção. Não há risos, não se chora. Não há prazeres, não há dor. Não há amor, nem desilusão.
Ontem haviam sonhos... Hoje acabou-se o sono...
Carrega-se um sorriso tolo... Qualquer coisa que soa mais como um soluço.
A estrada de repente tornou-se tão sinuosa... Onde estão as arvores que a enfeitavam...
Parece tão longa e tão escura... Mas não sobrou medo para continuar no escuro... qualquer lamaçal passa ser pequeno quando ja perdeu-se o chão...
Um eremita...Um ermitão... Sim...Tem la sua razão.

TEXTO EXTRAIDO DE UM CORAÇÃO QUE NÃO SOBREVIVEU A UMA DESILUSÃO.
COLABORAÇÃO DE UMA ALMA QUE VAGUEIA EM BUSCA DE UMA AMBIÇÃO.
BASEADO NA COMICA TRAGEDIA DE UM SER HUMANO INCREDULO DE PERVERSÃO.
EDITADO POR OLHOS QUE LAMENTAM UMA SEQUIDÃO.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Na chuva, na rua ...


Estamos em época de temperaturas mais amenas. Para os mais friorentos, os casacos e guarda-chuvas, já estão preparados.
Sinto-me particularmente bem nessa época. Quase não sinto frio, aliás, muito pelo contrario. Aproveitei meu novo hábito saudável-minha bicicleta- e estou andando embaixo dessas garoas fina de Abril que nos trás o frescor do Outono.
Vinha hoje a meditar na liberdade dessas ruas vazias. Feriado, chuvinha, fresquinho, de manhã...O pensamento voa na velocidade do avião que passa por entre as nuvens cinzentas...a chuva correndo pelo rosto, aliviando o cansaço do exercicio, enquanto tento acompanhar aquele avião e ao mesmo tempo me concentrar no caminho...
Como estamos todos muito mais ligados hoje em dia...Avião, celular, Internet...A barreira da distancia foi quebrada... podemos estar em tantos lugares ao memso tempo sem na verdade nunca ter saido de nossas casas. Transladar nosso coração para os países mais distantes, qu enunca imaginariamos achar alguém um dia...e pagamos o preço por essa escolha. Saudades. Ansiedades. Lágrimas.Mas acima de tudo SONHOS. ESPERANÇAS. MOTIVAÇÕES.
Que seja bem vinda essa nova era. Que consiga unir os povos, trazer a paz, disseminar cultura e respeito pelo nosso próximo.
Que o amor sempre prevaleça.
Jinhussssssssss


quinta-feira, 16 de abril de 2009

Recomeçar

Há certos momentos em nossas vidas que não temos palavras para expressar aquilo que nos vai á alma. Precisamos dos grandes poetas para nos emprestar palavras para que possamos dar alguma dimensão a tanto sentimento.
Por isso, escolhi esse texto para dar voz ao que, no momento, expressa melhor do que qualquer palavras minhas...


Não importa onde você parou...
em que momento da vida você cansou...
o que importa é que sempre é possível e
necessário "Recomeçar".

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
é renovar as esperanças na vida e o mais importante...
acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado...

Chorou muito?
foi limpeza da alma...

Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia...

Sentiu-se só por diversas vezes?
é porque fechaste a porta até para os anjos...

Acreditou que tudo estava perdido?
era o início da tua melhora...

Pois é...agora é hora de reiniciar...de pensar na luz...
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Que tal
Um corte de cabelo arrojado...diferente?
Um novo curso...ou aquele velho desejo de aprender a
pintar...desenhar...dominar o computador...
ou qualquer outra coisa...

Olha quanto desafio...
quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te
esperando.

Tá se sentindo sozinho?
besteira...tem tanta gente que você afastou com o
seu "período de isolamento"...
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para "chegar" perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza...
nem nós mesmos nos suportamos...
ficamos horríveis...
o mal humor vai comendo nosso fígado...
até a boca fica amarga.

Recomeçar...
hoje é um bom dia para começar novos
desafios.

Onde você quer chegar?
ir alto...sonhe alto... queira o
melhor do melhor... queira coisas boas para a vida...
pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos...
se pensamos pequeno...
coisas pequenas teremos...

já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente
lutarmos pelo melhor...
o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental...
joga fora tudo que te prende ao passado... ao mundinho
de coisas tristes...

fotos...peças de roupa, papel de bala...ingressos de
cinema, bilhetes de viagens...
e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados...
jogue tudo fora... mas principalmente...
esvazie seu coração... fique pronto para a vida...
para um novo amor...

Lembre-se somos apaixonáveis...
somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
afinal de contas...
Nós somos o "Amor"...

" Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do
tamanho da minha altura."

(
Carlos Drummond de Andrade)



quarta-feira, 15 de abril de 2009

Esperança


Esperança


Mário Quintana


Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

JINHUSSSSSSSS..

terça-feira, 14 de abril de 2009

Árvore dos desejos.




Reza a lenda que um viajante muito cansado, faminto, sem dinheiro, sentou-se á sombra de uma árvore. Ali sentado, pediu intimamente por um prato de comida. Misteriosamente, apareceu a sua frente uma bandeija com um prato cheio de comidas das mais variadas. Quando saciada sua fome, sentiu sede, e intimamente pediu por um copo dágua. Mais uma vez uma bandeja com varias bebidas apareceu a sua frente. Mais uma vez ja saciado, sem mais nada a pedir, ao invés de seguir viagem, po-se a questionar-se. Quem fizera aquilo tudo afinal? Pensou...seriam espíritos ? Nesse momento ao seu redor, varios espiritos o rodiavam. Um medo surgiu. Seriam aqueles espiritos maus? E ele, tal qual seu medo, foi atacado e morto pelos espiritos a sua volta.
Tal qual a lenda, nossa mente é como uma árvore, onde imaginação e o nosso querer, seja ele bom ou mau, reina absoluta.
Vou ainda mais a fundo. Ao ler, dei-me conta da ingratidão do ser humano. Enquanto a situação está favoravel, dificilmente paramos para saber qual é a fonte. Porém, uma vez saciados, tudo contestamos, nada esta bom.Depois somos devorados pelo nosso egoismo, mortos pela nossa própria ingraidão .
Passei o dia a pensar nisso...
jinhus

domingo, 12 de abril de 2009

Rivalidade


Fui á um chá da tarde de uma grande amiga. Só mulheres. Constatei algo que já ouvi falar mas achava que não existia de fato. Rivalidade feminina.O assunto deu-se inicio com uma pergunta : " Descreva a atual do seu namorado/marido ?"
Fiquei pasma com a constatação do óbvio. Nenhuma descrevia a atual com bons adjetivos. O melhor deles foi " ... ela não é feia..."no qual a outra ja emendou: "...ah, é nada, ela parece uma boneca de porcelana.." O clima ficou tenso.
Impressiona-me como de fato as mulheres se reunem pelo prazer de saber como a vida da outra está ...troca-se experiências, aprende-se ...mas percebi que uma frase que ouvi de fato "uma mulher se arruma para outra mulher, não para um homem" é real.
Como é dificil para o ego feminimo admitir ser trocada, traida por outra. Dói no orgulho.
Uma mulher casada que já havia traido o marido.lFazia isso mas não enganava ninguem. Já havia pedido separação, mas o marido negava. Os filhos...e tal. Até que o marido pediu o divorcio, assim, da noite pro dia, sem explicação. Ela não deveria estar feliz?? Não...Claro que não. Como ele pode fazer isso? Com certeza tinha outra na vida dele. Ele não presta. Não vale nada. Mas nunca ninguém soube, nem ouviu falar do suposto 'caso' dele. Mas ele tem que ter... não pode ter acabado assim...Dá para entender???? Orgulho feminino...ego ferido...
E mais... consigo entender, mas não explicar... Sou mulher também!!
jinhussss




sexta-feira, 10 de abril de 2009

Semana santa.


Fui trabalhar hoje, e no caminho pensava como hoje em dia o feriado santo não é mais respeitado. Lembro na minha infância quando nada abria, não ouvíamos música, não comíamos carne...ja sentia-me ate culpada por ir trabalhar, mas para mim, não é trabalho. É a extensão da minha casa...sinto-me bem e a vontade.
No caminho, percebi as mudanças. Tudo normal. Casas com festas e churrasco.Nos bares homens ainda bebiam apesar de parecer que nem em pé se aguentariam.
Todos os ritmos tocando auto sem aquele respeito que aprendemos a cultivar.
Percebo que as pessoas nem sabem mais o que significa um feriado. Nem falo mais da data em si. Mas o feriado tem a importância maior. Feriado seja la qual for, é indicio de ficar em casa, beber, festas...A importância está no dia da semana que vai calhar...sexta e segunda são os dias preferidos.
Bom, pensando bem, não conseguimos nos lembrar em quem votamos nas últmas eleições, vamos lembrar o que significa cada feriado?
Uma enquete nas ruas...Você sabe cantar o hino Nacional? Fiquei pasma! A cada dez,um conseguia cantar inteiro...
temos muito que evoluir!
Jinhusssssss





quinta-feira, 9 de abril de 2009

Felicidade conquista-se


Temos por hábito desejar felicidades ás pessoas.Aniversário. Casamento. É costume mesmo!
Felicidade é conquistada.Muitas vezes a duras penas. Outras vezes é construída.
Nossa vida é como uma construção. Cada tijolo para uma construção diferente com um nome: felicidade, respeito, amor, confiança.
A confiança, por exemplo : algo que conquistamos com tanta dificuldade. Podemos levar uma vida inteira para construí-la. Mas de sólida não tem nada, já que uma vez perdida, seja pouco, seja muito, dificilmente recuperamos.
Perdemos muito tempo nos perguntando e procurando a felicidade. Isso é gastar tempo e energia.
Li uma vez que muitas pessoas não abrem a porta da felicidade quando esta bate, por estarem ocupada demais procurando um trevo de 4 folhas lá nos fundos.
A felicidade consiste em um conjunto de momentos felizes. É de fato um estado de espírito. Independente de ter alcançado seu objetivo, no caminho que percorremos atrás do SUCESSO dessas nossas metas, temos inúmeros momentos e trechos da mais pura felicidade.
Bom seria se cada um tivesse consciência que a busca pelo sucesso não é a felicidade...é, na verdade, uma realização pessoal que pode vir acompanhada ou não dela.
E quem não quer ser feliz que atire a primeira pedra nos que buscam...
Jinhussssssssss ...


quarta-feira, 8 de abril de 2009

Meu Jeito.


My Way - Frank Sinatra.

E agora o fim está próximo

Então eu encaro o desafio final .

Meu amigo, eu vou falar claro.

Eu irei expor meu caso, do qual tenho certeza,

Eu vivi uma vida que foi cheia.

Eu viajei por cada e todas as rodovias.

E mais, muito mais que isso: Eu fiz do meu jeito.

Arrependimetos, eu tive alguns

Mas então, de novo, tão poucos para mencionar.

Eu fiz, o que eu tinha que fazer.


E eu vi tudo, sem exceção. Eu planejei cada caminho do mapa.

Cada passo, cuidadosamente, no correr do atalho.

Oh, mais, muito mais que isso Eu fiz do meu jeito

Sim, teve horas, que eu tinha certeza.

Quando eu mordi mais que eu podia mastigar

Entretanto, quando havia dúvidas, eu engoli e cuspi fora.

Eu encarei e continuei grande. E fiz do meu jeito

Eu amei, eu ri e chorei. Tive minhas falhas, minha parte de derrotas.

E agora como as lágrimas descem eu acho tudo tão divertido de pensar que eu fiz tudo

E talvez eu diga, não de uma maneira tímida

Oh não, não eu... Eu fiz do meu jeito

E pra que é um homem, o que ele tem se não ele mesmo

Então ele não tem nada para dizer, as coisas que ele sente de verdade

E não as palavras que ele deveria revelar

Os registros mostram que eu recebi as desgraças

E fiz do meu jeito

Jinhussssssssssss....do meu jeito....

terça-feira, 7 de abril de 2009

Qualidade de vida



Li em algum lugar que cada um de nós deveria nascer com 100 anos, e assim, regrediríamos...Já pensou chegar aos 30 anos com a bagagem de 80? Quantos agressões deixaríamos de nos fazer.
Saberíamos nos alimentar melhor, cuidaríamos de nosso corpo exercitando nossa mente.
Sempre prometemos começar algo de bom no amanhã. Mas nossa saúde urge pelo hoje.
Amanhã pode ser tarde.
Estou particularmente feliz.
Sempre li, muito admirada, a disposição dos japoneses em usar a bicicleta como meio de transporte. Não polui. Não há custo. Faz bem a saúde. Pensava; um dia, tomo vergonha e irei adotar bons hábitos para uma melhor qualidade de vida, entre tantos outros, fazer exercícios. Nem que para isso, deixasse o carro na garagem, andasse menos de lotação. Mas cadê a coragem, o ânimo...
Parei com refrigerantes, diminui os carboidratos e hoje já fui pedalando trabalhar...e voltei ... Que sensação maravilhosa ...Liberdade. Pegando carona em uma musica de sucesso " I believe can fly..", I´m king of the world. ...I feel good.
Já batizei meu novo transporte: Butterfly.
Mandei fazer um adesivo: With my butterfly, I´m free to fly. Fly own way.,
Alias, nesse momento, sinto-me especialmente bem...Meu tema é cantado pelo Frank..."My way"...
JInhussssssss

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Disputa de amor


Que poder de amor e de amar tem uma mulher.
Ama ao extremo. Ao ponto de confundir amor com posse.
Ama achando-se dona a quem dirige esse amor.
Sofre por focar apenas um lado da questão, esquece-se de avaliar tridimensionalmente uma situação.
Uma historia. Duas versões.
Versão 1 : Mulher de aproximadamente 45 anos, namora a 5 anos um homem de 62. Sente-se bem quando esta com ele. Sente falta na ausencia do amado. Não moram juntos, pois segundo ela, ele é explorado pelos filhos. Um rapaz de 30 anos, emprego fixo, mora na mesma casa mas não se acha na obrigação de ajudar nas despesas. Uma mulher, 29anos, mãe solteira, seu filho com 3 anos. Formada em direito, nunca exerceu a profissão pois gosta mesmo de depender do pai. Deixa todas as responsabilidades que deveria assumir, como as contas e o filho nas mãos do pai. Odeia a namorada do pai, chegando mesmo a ligar e ofender. A namorada não suporta nem ouvir falar dessa filha ingrata e descompensada.
Versão 2 : A filha. Como já descrita 29 anos. Sempre dedicou-se ao pai. Nunca deixou que nada faltasse. Quando engravidou, abriu mão de morar com o pai do filho, pois sabia que o pai precisava dela. Nunca exerceu a profissão de direito que o pai pagou, pois cuida da casa, do filho além do pai e do irmão. Acha qu o pai esta se envolvendo com uma mulher interesseira, já que ela é 20 anos mais nova que ele. Não que ele tenha posses, mas o pouco que tem, essa mulher quer arrancar, certamente. Acha justo qu eo pai a leve em suas viagens com a namorada, pois namorada, arruma-se em qualquer esquina. Filhos é pra vida inteira.
Quem tem razão?
Prefiro dizer que FALTA mais razão. Sobra ciumes de ambas as partes. Duas mulheres amam o memso homem, mas cegas que estão, disputam entre si algo que nenhuma ou outra vai ter de verdade. Necessario que haja o respeito pelo espaço que cada uma tem na vida desse homem. Necessario que cada uma coloque-se no lugar da outra, para que entenda que uma completa a vida desse homem de formas diferentes.
Tanta pressão, resultou em um enfarto . Nem assim, elas aproveitaram a chance de aproximação que a vida oferecia.A filha ia ao hospital e la estava a namorada. Todos os dias ela la estava. tanto a namorada ao lado do homem, quanto a filha a visita-lo em todos os horarios. Na verdade cada uma estava fazendo sua parte, porém, torcia pela falha da outra.
Triste essa situação. Perdem a chance de fazerem amigos e serem amigas. Dividirem lado a lado o bem estar e a saude desse homem.
Verdadeiro valor só será dado com a perda..?
Jinhusss



sábado, 4 de abril de 2009

Experimentando um gole.


Sempre posto temas femininos. Não sou feminista. É natural já que com tanta espontaneidade, estou sempre a conversar com uma ou outra. Percebo a necessidade que temos de ser ouvidas. As vezes é so que queremos. Um bom ouvinte. E o dia a dia, a correria que engole cada um de nós, não nos permite olhar além dos nossos horários, do nosso círculo de vivência. Não trata-se de má vontade. É o strees, o cansaço do dia a dia.
Minha "VIDA" inspiradora de hoje, contou-me sua história.
Após o parto de sua segunda filha, desenvolveu depressão. Não tinha motivação para cuidars das filhas, da casa, do marido. Esse, um homem trabalhador de boa indole,porém, sem a menor paciência com sua doença. Sempre chegava em casa, e ao ve-la deitada, olhos inchados, acusava-a de estar com frescuras, vadiagem...a levou no médico. Mesmo um profissional afirmando seu diagnostico, para seu esposo, era tudo frescura dela.
Com o inicio das medicações apropriadas, ela até que melhorou. Porém, quando tinha uma recaída, seu esposo ligava para sua mãe, mandando que viessem busca-la, pois ele não tinha tempo a perder com gente louca.Isso a fazia sentir-se mais impotente ainda.
Com a falta de apoio com seu problema, anta incompreensão e ignorância, seu casamento acabou.
Passou a viver com as filhas. Nunca mais teve crises. Retomou sua vida, casou-se novamente com um amigo muito proximo. Aquele que sempre estava na hora certa no momento certo.
Não demorou muito tempo, ela recebe um telefonema no meio da madrugada. Era do hospital. O pai se suas filhas estava internado a beira de um ataque de nervos.
Diagnostico: Síndrome do Pânico.
Hoje, ele toma remédios fortissimos, quando em crise liga para ela, para seu atual marido ou uma das filhas. Afastado do serviço, faz tratamento com psiquiatra. Mora sozinho.
Quando em crise pede perdão á ela. Por ter duvidado, minimizado, ironizado sua enfermidade, acredita que esteja assim para 'experimentar o gole do veneno ' ...que ele memso intitulou "minha ignorância'...Veneno esse que não mata, mas vem trazendo muitos efeitos colaterais para vida dele.
Para ela fica a lição de um velho amigo: TEMPO...Tudo passa.
JInhuss

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Necessidade de afeto


Fico pasma com a prioridade de algumas pessoas.
Aceitam fazer prioridades pessoas que as tem por opção.
Ou fazem de uma mera opção sua prioridade, confundindo carência com amor.
Inacreditável essa necessidade que temos de ter alguém ao nosso lado, mesmo sendo esse alguém tão sem afinidades, tão na contra-mão daquilo que queremos ...
Mulheres, sim, nós MULHERES...somos as campeãs.
Muitas não sabem viver a solidão do termino de um relacionamento.
Dar um tempo para si, é fundamental. Fazer uma espécie de balanço de si, colando partes, limpando os porões do coração, abrir as cortinas, deixar o sol da esperança renovar seu eu... Pesar na balança o que foi bom, o que sobrou de bom, o que aprendeu-se de bom...é BOM!
Não entregar-se aos primeiros braços abertos prontos a te envolver numa atitude instintiva de apoio...achar que esses braços abertos são o Porto Seguro, a tábua para sua salvação melancólica. Quantas expectativas!
5 anos acompanho a trajetória dessa que me deu inspiração de hoje.
Casada quando a conheci. Um dia chorava ao meio da praça. No meu silêncio, fui oferecer um copo com água e acúçar...um abraço amigo... um lenço, além de um bom ombro para chorar se quissesse. Ela o fez... chorava pelo fim daquele relacionamento.
Passaram 5 dias. Outra mulher eu encontrava naquela pessoa. Não me engano! Um novo amor a dominava.
Deixou-se levar pelo apoio interesseiro de um alguém casado.
Quem é feliz passando por cima da felicidade do seu próximo?
Alguns vexames depois, lá estava com outro. Mas ele tinha um defeito. Grave. Mas ele não escondeu, foi sincero, ela aceitou, apesar de ser contra seus valores pessoais, afinal, a regra é: não estar só..mesmo que mal acompanhada... (??!!)
Não sei precisar quanto tempo está assim. Hoje pediu-me uma opinião. Disse que aquele defeito era terrível e tal...que ela havia sido louca quando o aceitou.
Interrompi. Não! Mentia! Sabíamos que era uma desculpa para dar um MOTIVO aquela insatisfação porque, certamente, havia outro em cena.
A principio , a negação, obvio. Um olhar mais inquisitor, a firmeza na voz quando respondi ante essa veemente negação: " Sou eu.. Pra mim não precisa, lembra, lembra?"...
Pronto, bastou para descer o olhar a terra e confessar... O ex marido estava na redondeza.
Cheguei em casa pensando nisso. Porque, em nome do 'MEDO' de estar só, degradamos nós mesmo?
Estar só nos renova. Nos recicla.
Aprendemos, amadurecemos e evoluimos.
Mas...o que seria do azul se todos gostassem do verde...
Jinhus




quinta-feira, 2 de abril de 2009

M... de Mulher!

Nome : Márcia, Mulher, 32 anos.

Divorciada, Mãe de uma linda menina de 7 anos.

Destino? Morte... assassinada.

Motivo? Não queria mais continuar um relacionamento de 4 anos que Mantinha.

Forma? Estrangulada com o fio do carregador de bateria.

Não era Minha amiga. Era uma Mulher conhecida. Passava aqui ao levar e buscar a filha na escola. Discreta, tímida, um sorriso que se traduzia em "Bom dia/Boa tarde/Boa noite", conforme o horário.
Sei que isso é banal. Leem-se histórias como essa todos os dias no jornal. Mas Grito, protesto. Não acho normal. Não sou passional. Covardia.
Psicose, obsessão... não é/foi por amor. Uma Musica que diz: "Toda Mulher já nasce pra Morrer DE amor..." ...Não POR amor, Não PELO amor!
Nunca falamos... Mas o que ela buscava, qualquer Mulher é capaz de responder: Um Motivo para viver, um amor para Motivar essa vida.
Hoje, posto Minha homenagem singela, solitária á Márcia Mulher! ..acompanhado desse vídeo, como forma de oração.
Em luto por todas a Marcias do Mundo...
Jinhus...


sexta-feira, 27 de março de 2009

quarta-feira, 25 de março de 2009

Nosce te ipsum.


Citação de Platão e significa : "Conhece-te a ti mesmo".
Essa é a chave da vida: Auto-conhecimento. Parece fácil, mas na verdade isso é um processo que so se encerra, muitas vezes quando estamos com nossos cabelos brancos.
Passamos a vida inteira em busca de algo em alguém. Percebemos que o algo que procuramos está dentro de nós, enquanto o 'alguém' somos nós mesmo.
Ninguém sabe qual o seu limite real, qual sua reação ante determinada ação.
Por exemplo: Todos sabemos que não reagir a um assalto é a melhor atitude. Mas quem reage ,muitas vezes o faz sem pensar... "Instinto".
Quantas situações passamos pela vida, e achamos que não surportaremos. Quantas escolhas nos são impostas, e nunca saberemos qual seria a melhor.
Na verdade dirijo-me a pluralidade feminina. Como é dificil ser tantas em uma unica pessoa: mãe, esposa, profissional, filha, mulher, Ufa!!
Penso na força que nós mulheres temos. Lembro que um dia a mulher era um ser sagrado, e que esse 'sagrado' sobreviveu a guerras, repressão, maus tratos.
Somos como a lua. Crescemos, minguamos, morremos e renascemos.
Temos que ser sábias, prudentes, juízes, advogadas, estaca, degrau, ombro, colo, fêmea, leoa... dentro de nossos lares, com nossa família.
O que dizer do homem tão maravilhoso , esposo, amigo, companheiro... que sofre crise constante de depressão pela perda de um filho, e nas fases que mingua, leva todos dentro de sua casa com ele. Ah, mas ao seu lado, há uma sábia, uma parceira com ombros, lenço. Ele atira-se, totalmente entregue, aos copos. Totalmente e financeiramente. Carrega consigo o orçamento que a guerreira companheira estica por dia.
Vem a cobrança da filha, já uma mulher com quase 20 anos, na discutível RAZÃO, manda a mãe deixar aquele 'cachaceiro ' pra la. Entra em ação a advogada. Não! Esse aqui não é um cachaceiro. Ele é o seu pai, antes de qualquer coisa!
O pai levanta-se pronto para uma possivel agressão. Descompensado a dizer que aquele cachaceiro a sustentou e a manteve até aquele momento.
Ela , nesse momento, tenta ser o muro de sensatez. Não tomar as dores, mas não defender ninguem. Acalmar os animos.
Na solidão da noite, chora...
Cobrada pela filha por atitude, que a toma como covarde.
Pressionada pelo marido pro famoso "ou ela ou eu", que a toma como ingrata.
Quem é essa mulher?
É a Sagrada mulher sobrevivente, que não deixa baixar sua lança!
JInhussssssss





segunda-feira, 23 de março de 2009

Livre e espontânea pressão


Sempre soube que as mulheres são descriminadas. Particularmente, confesso que não sofri discriminação alguma, ou ao menos nunca percebi.
Mas sei que determinadas profissões, as mulheres precisam provar que são as melhores. Ao homem, basta provar que são bons, mesmo porque o feminino de 'bom' pode ter sentido duplo.
Lembro, na altura de minha formatura, minha amigona, aquela que a gente leva pro resto da vida, além faculdade, dizia que faria especialização em grandes animais, tinha uma paixão particular por búfalos, e fez vários cursos na área que ela 'abraçou'. A cada término de horas-aulas, e com mais um certificado na mão, ela me procurava, desolada (so ela de mulher na sala)... Donos das fazendas mandavam os peões pra fazerem o curso e não ter que gastar com veterinários. Sentia-se duplamente desqualificada: como mulher e como profissional formada.
Os próprios que ministravam os cursos e/ou palestras sempre acrescentavam a dificuldade que seria na contenção de um animal para qualquer tipo de inspeção, exames, medicamentos, enfim...
Dois anos minha amiga nessa luta. Dizia que sentia que estava 'remando contra a maré' cada vez que se candidatava a uma vaga, ou fazia um curso. Até que desistiu... Deu-se por vencida e foi trabalhar numa clinica, com pequenos animais, ainda assim, pensando em desisitir da profissão.
ontem estive ao telefone a conversar com ela. Disse que mais conformada, e até agradece por entrar na área de pequenos. Uma área que além de não dar um pingo de valor, a fez ver a profissão de uma outra maneira.
As vezes, de tanto orar o 'Pai Nosso', não nos damos conta que sempre existe a frase mais dificil.." ...seja feita vossa vontade..."repetimos por decorarmos.
Jinhus

quarta-feira, 18 de março de 2009

Terceirização sentimental


Sou do tipo: "Não dou conselho, mas se pedir minha opinião, esteja pronto para MINHA opinião, não para o que queiras ouvir na tentativa de agradar-te..."
Estava eu aqui, ás voltas da historia do " Meu Herói" postada ontem, quando ela chegou. Colocou os cotovelos na minha bancada, seu rosto ao lado da tela do pc... Um sorriso quase débil nos lábios. Sabia que queria dizer-me algo, e queria uma brecha, como quem até chega a pedir no olhar para que eu perguntasse como andavam as coisas.
Resignei-me... Perguntei apenas "Tudo Bem? " Era o que ela precisava! Disparou...
"Sim, Tudo ótimo!.. Mas estou numa dúvida que me consome. Nunca passei por essa situação, com meus 44 anos. Sinto-me outra vez adolescente! Ele ligou-me e me convidou a ir num HOTEL, entenda bem... HOTEL, não MOTEL!! E que não faria nada que eu não quissesse, e Motel era coisa para qualquer uma... eu sendo especial, me levaria no melhor hotel da cidade, pois ele é muito influente... (...) ...meu marido saiu, pedi para que ele me ligasse, disse que se sentia todo arrepiado ao ouvir minha voz...(...) ...perguntei se lá no tal HOTEL tinha música (risinhos)... (...) ...ele como eu, casou-se sem paixão...(...)..."
*Leia minha crônica ENGANAR E SOBREVIVER. Trata-se da mesma pessoa.*
Eu ouvia impassivel ao que me dizia... perdi muitas partes pois fazia uma análise particular de cada frase. Obviamente, estava encantada, com o ego inflamado pela cantada. Nunca havia trabalhado, não sabia desde que casara o que era sentir-se Feminina com um elogio!..
Vi coisas assustadoras no que aquela mulher me dizia. Seus olhos brilhavam, iludida por palavras. Deixei-a falar. Meu rosto impassivel... Não demonstrava mesmo nada do que estava a pensar, o que deu mais segurança para que continuasse se abrindo, viajando num mundo cor-de-rosa.
Por fim ela só a dizer.." Engraçado, ne? Depois de tanto tempo, tenho a oportunidade de ser feliz de novo, não to certa?"
Com muito cuidado, disse tudo que pensava.
Perguntei se ela estava certa que valeria a pena. SE ela estava disposta a perder a moral ante sua filha adolescente, caso isso viesse a tona, mesmo porque antes de cometermos qualquer ato devemos pesar a consequencia dele, e não ser pessismista, mas REALISTA.
Perguntei se depois de enaltecer suas qualidades o sujeito, tinha comentado, ainda que superficialmente sofre algum defeito.Se ele tinha mostrando-se o homem ideal, sonho de qualquer consumo feminino. Se ela já havia parado para pensar que um defeito ele já tinha, e eu, sem conhece-lo, so de ouvi-la falar do tal, já havia visto.. e não estava julgando. Se ela ja tinha parado para analisar que tratava-se de um homem INFIEL, coisa que talvez o marido dela, mesmo não sendo Um grande amante, talvez fosse. Se ela correria o risco de perder uma familia construida com lutas e sacrificios em nome de uma ilusão, pois ele não abriria mão de posição social, família por uma aventura, e por fim, perguntei se ela cederia a qualquer cantada que ela recebesse dali pra frente, pois receberia. Não por ser bela, desejavel... mas sim, por ser mulher. Isso bastava para receber uma cantada a cada esquina dependendo apenas de como cada uma se portava.
Talvez um bom diálogo com o marido, para tentar resolver a rotina do dia a dia. SE ainda assim não desse resultado, que tal separação? Temos a obrigação de sermos felizes. Sem culpa. Sem medo. Portanto sejamos honestos uns com os outros. Pra que terceirizar nossas frustrações?! Ela me parou ai... 'Terceirizar sentimentos?" Tive que explicar o que chamo de terceirizar frustrações e decepções.
Bem, saiu daqui com um olhar de alguem envergonhada e se dizendo 'aliviada' por traze-la novamente ao chão. Era como estivesse a flutuar sem olhar nem medir nada...
Bem, talvez não tenha mesmo nada com isso, talvez devesse sorrir e fingir que concordava... Mas ela me pediu, ela perguntou! Espero mesmo que use o bom senso.
Todos nós podemos e devemos ser felizes, mas ninguem jamais conseguirá isso passando por cima dos sentimentos alheios.
Filosofias da minha vida !!
Jinhusssssss


terça-feira, 17 de março de 2009

Meu Herói, e sua história...


Nasceu em 1953.
Não queria ser herói, tenho certeza. Nasceu apenas com uma capacidade enorme de amar, de servir. Foi abandonado na porta do quartel da Polícia Militar do Estado de São Paulo, onde foi adotado. Teve carinho, cresceu feliz, dentro das regras rígidas da corporação. Aprendeu que devia dar a vida para salvar as pessoas. Tarefa que fazia por gosto... Por instinto de sobrevivência.
Um dia, após tantas outras benfeitorias, resgatou de um buraco, Eduardinho , uma criança com frio, fome, que havia sido sequestrada. Em entrevista, Eduardinho afirmou que pediu muito á Deus que fosse enviado um anjo, pois sentia muito medo. E Deus ouvindo suas orações, mandou O "Anjo do amor", anjo sem asas, destemido, valente!
Certamente, Eduardinho aprendeu naquele dia, que os anjos enviados por Deus,não tem forma ou cor. Como tantos outros que foram salvos, aprenderam que anjos são... ANJOS!
Por esse feito, Meu Herói foi promovido á Cabo Da Polícia Militar do Estado de São Paulo, no governo Jânio Quadros.
Recebeu sua condecoração e sua promoção impassível. Nada a sua volta o fazia mudar. Era sempre o mesmo. Não se vangloriava pelo feito. Tinha em si, apenas a sensação de missão cumprida. Havia feito apenas sua obrigação.
Mas infelizmente, como todo herói, morreu jovem. Não foi em ação... Morreu devido a uma hepatite.
Sua morte foi muito sentida na corporação. Não havia um que não chorasse a perda daquele Cabo. Por conta disso, foi erguido um Busto em sua homenagem. Que até hoje está lá. Para quem quiser acreditar.
Emocionada e orgulhosa que estou, quase esqueci de dizer: Cabo Dick, era seu nome. Um cão Pastor Alemão. Seu busto esta no canil da PM. Morreu em 15 de Junho de 1959.
Vivia feliz com seu abanar de cauda, o anjo policial de quatro patas, focinho e orelhas erguidas sempre atento. Nunca recebeu salário... Após cada missão, voltava ao seu canto, no canil, com comida, agua fresca e pronto para qualquer hora entrar em ação.
Segue a inscrição no busto construido em sua homenagem:
" Ao Cabo Dick, Campeão das buscas policiais. A todos os cães, exemplo de fidelidade, coragem e afeição."
Eu acrescentaria: "...mas principalmente A TODOS os HOMENS ! "
Jinhusssssssssss



domingo, 15 de março de 2009

Esmolas para heróis !


Uma sensação estranha...
Algo dentro de mim a 'gritar'... " Pode ser você amanhã!"
Estávamos no semáforo.
Um senhor... cabelos brancos, torto para o lado direito, repuxando com dificuldade, vendendo gomas de mascar e chocolates numa mão.Na outra carregava caixas de remédios com um comprovante do depósito da sua aposentadoria. Em seu discurso disse algo que me tocou profundamente" ..não tenho vergonha de estar aqui a vender, pois se o governo não tem vergonha de pagar isso para um homem que trabalhou a vida inteira honestamente, não sei o que é pior, pedir esmola, ou receber a esmola do governo!.."
Vamos falar sério... trabalhamos, Pagamos impostos, somos ditos 'contribuintes'... e depois?! Recebemos esmolas? Muitos, se tem saúde conseguem continuar a trabalhar. Outros, agregam filhos e netos e com sua aposentadoria ajudam a sustentar. Outros, se agregam aos filhos pois não conseguem pagar nem seus próprios remédios.
Poucos são os abençoados, que conseguem se manter. Muitos são os 'Beneficiados' pela corrupção. E a maioria são humilhados com esmolas, dadas pelo governo como se fosse um 'Favor' que fazem.
E divulgam que tem atendimento preferencial, acento preferencial, fila preferencial... como se fossem MARAVILHOSOS. Oras... não fazem mais do que obrigação.
E a cada INSS que temos que pagar (obrigatoriamente) temos que refletir e cobrar o destino desse dinheiro... Mais uma Utopia... não damos conta de administrar nossas vidas, nem nos preocupamos, lembramos nem cobramos de quem votamos... Collor que não me deixe mentir...
JInhusss

sábado, 14 de março de 2009

Inquisição. O Retorno !


Fiquei chocada ao ler esses dias nos jornais as palavras "excomunhão, igreja, arcebispo"...
Que retrocesso foi esse? Pleno século XXI. Não faço aqui apologia NUNCA a nada..aborto, igreja,futebol..mesmo porque a intenção quando criei o blogg nunca foi essa.
Mas precisamos deixar de ser hipócritas. Dizer que o aborto é um pecado pior que o estupro.
Que o estuprador não merece ter a 'excomunhão', mas os médicos, os pais e a estuprada - uma menina de 9 anos, grávida de gêmeos, do padrasto - tem a 'excomunhão' da santa igreja, pois a vida da menina em risco não importa...o trauma psicologico dessa criança, não importa...E os gemeos nascendo devem ser entregues para adoção numa instituição católica, para aumentarem os números de crianças para adoção, o números de adolescente revoltados e filhos de ninguém...Uma menina que se tornará uma mulher frustrada, apontada, rotulada e ainda a saber que andam por ai-sabe-se lá onde dois filhos, frutos de sua 'excomunhão"...
Voltamos ao tempo da inquisição? Vamos queimar na fogueira os 'PECADORES" em nome da HIPOCRESIA ? E vamos perdoar bispos e arcebispo que negam ainda hoje a existencia do holocausto no passado?
Já não esbarramos o tempo todo em instituições religiosas na área científica?
Já não temos que engolir centenas de histórias de pederastia e pedofilia dentro do CLERO?
Acreditar que esses serão PUNIDOS e não excomungados...
Santa...Santa PACIÊNCIA, isso sim.
Jinhussssss

quinta-feira, 12 de março de 2009

Educação.


Outro dia li em um adesivo atrás do carro " Minha educação, depende da sua!"
Bem, não concordo com essa frase. Não creio que a maneira de ser de uma pessoa possa afetar a natureza do outro. Isso só acontecerá com pessoas de natureza frágil, ou que não tenha uma essencia própria.
Atitudes alheias jamais podem interferir no meu modo de agir. Não estou aqui fazendo apologias com '..virar a face para segundo tapa...". Digo " Bom dia" ao motorista ao entrar no ônibus, poucos respondem...mas faço minha parte. Digo " Muito obrigado" ao caixa do mercado, após ser atendida...Quase nenhuma repara. Peço 'Perdão' ao esbarrar em alguem, normalmente esse alguem esta tão preocupado em segurar a bolsa para não ser assaltado que nem olha...
Isso faz-me lembrar um historinha que li não sei onde:" Um escorpião estava no meio do rio em cima de uma folha preste a se afogar. A beira do rio, um homem sentado durante horas com um pequeno graveto tentava salvar o escorpião, mas todas as vezes que o escorpião subia no graveto , era pronto para dar o BOTE em sua mão, e o homem largava o graveto. Do outro lado do rio, outro mais jovem observava aquilo, sem acreditar no tempo perdido pelo outro a tentar salvar um bicho que queria envenena-lo. Ate que por fim, o primeiro, conseguiu, e o escorpião, fugiu para o meio da mata.
O que estava a observar, pergunta ao outro: Afinal, porque estava a perder tanto tempo com esse bicho peçonheto? Ele só queria te matar! ..e o outro ' E eu so queira salvá-lo, pois ele agia conforme a natureza dele, e eu a minha, por fim, eu consegui meu objetivo, independente da intenção dele!!'
Portanto, não permitamos que ações de outras pessoas nos faça ter reações que não condiz com nossa essencia natural.
Eu sei que é utopia....
Jinhusssssssss

segunda-feira, 9 de março de 2009

Depressão infantil.


Deparei-me hoje no jornal com uma triste realidade: Como vem crescendo casos de depressão entre as crianças. Confesso, que mulheres que tem ou já tiverarm ao menos uma vez o problema, pra mim não é novidade. Mas nossas crianças??
sei que as vezes pareço uma sexagenária falando, mas fico mesmo recordando da amarelinha, peão, Io-Io da coca cola que acendia luzinha, esconde-esconde, mão na mula, passa anel...Mesmo as brincadeiras que fazíamos sós, tínhamos tempo de ter nossos amigos 'imagináveis'. E com tristeza observo as crianças de hoje hipnotizada pela tela do computador ou pelos playstation...
Parecem-me triste solitárias. Não gastam energia, não correm, não trocam informação, não desenvolvem cordenação...Hoje vivem em um mundo de senhas, memory card, CD, botões coloridos, um mundo infantil projetado.
Certo que a maioria desenvolve depressão por uma forte tendencia genética. mas vejo que fatores externos vem interferindo cada vez mais nas mentes de nossas crianças.
Estudei numa cartilha chamado " Caminho suave"...Fiz cópias e mais cópias de textos, cadernos de caligrafias eram meu castigo(isso nunca me ajudou a ter uma letra legível-até hoje !).
E vejo apostilas com textos prontos, espaço a serem preenchidos, lacunas a serem assinaladas...Lição de casa no CD Room...depois, msn, orkut, jogos on line e playstation... Tudo assim, tão rápido...Os pais tambem não tem muito m,ais tempo de olhar seus fihos na rua andando de bicicletas, contribuindo para esse mundo de solidão .
Que saudades do sitio do pica pau amarelo...Barbapapa...Topo Gigio...E parabéns ao heróico Castelo ra tim bum que sobrevive nesse mundo de tecnologia.
Talvez, falte a essas crianças mais brincadeiras sem botões, luzes, barulhos...com mais barulhos de risadas delas próprias, botões de suor brotarem após correrem de 'queimada', luzes nos olhos após acharem quem esta a se esconder ....
Jinhusssss

sábado, 7 de março de 2009

Na dúvida?..é virose!


Fico me lembrando artigos que li sobre os primórdios da medicina. Imagino como no século XVIII temia-se a varíola como hoje tememos a AIDS.
O mais impressionante, é dar-me conta que sem qualquer aparato tecnológico - refiro-me a RX, USG, TOMO, Ressonancias, Biópsias,, enfim os chamados 'exames complementares', chegava-se a cura, a descoberta. Parece-me que havia mais empenho, mais vontade, mais iniciativa, mais observação...
Vai um pouco sobre um artigo interessante que li : Lady Mary Montagu, esposa do embaixador inglÊs em Istambul, observou que algumas pessoas, após terem contato com as crostas e secreções da varíola, desenvolvia uma certa resistencia natural a varíola. Foi OBSERVANDO.
Seguindo essa linha de RACIOCINIO, em 1798 o médico Edward Jenner, INVESTIGOU que alguns camponeses após terem contatos com animais doentes, não desenvolviam a doença.
Em 1885 Pasteur descobriu, finalmente a "causa-efeito" de microorganismos e doenças, e da forma mais rústica, DESENVOLVEU, então a vacina.
Em 13 a.C. o Médico Jurista Song Li (entitulado mestre), elucidou um crime pela LÓGICA: após um camponês aparecer morto no meio dos charcos de arroz. Pelo tipo de ferimento, o objeto usado havia sido uma foice. Chamou todos os camponeses pela manhã, e mandou cada um colocar sua foice a frente e sentaram-se a esperar, sem uma unica palavra. Ao meio dia, o sol a pino, as moscas pousaram na foice do assassino atraídas pelo cheiro do sangue.
Isso posto, pergunto-me: O que acontece com a medicina hoje em dia? O que acontece com a faculdade de medicina de hoje em dia? O que acontece com a ética médica hoje em dia? Penso que estão envolvidas pela burocracia, pela monopolização de convênios.
Porque abro esse tema tão polêmico? Alguns convênios se dizem criteriosos na escolha de seus profissionais...isso significa que esses profissionais não podem pedir exames caros, não podem ter autonomia de pedir e ser feito logo, pois tem que passar por uma comissão interna do próprio convênio para avaliar se HÁ necessidade da realização de tal exame. Oras...isso não seria no mínimo anti-ético?? Não seria questionar o colega? E quanto a espera dessa 'auditoria' de exame? Não pode custar uma vida?
E se Darwin tivesse que passar por uma auditoria para continuar o cruzamento das ervilhas para continuar sua teoria de seleção natural ? Esperar pela liberação de verbas do governo? Esperar pela autorização dos ambientalistas?
A verdade, é que sempre foi na simplicidade da queda da maçã(lei da gravidade), cultivos de ervilhas( seleção natural), contato direto com lesões e resistencia a doença( imunização) , que o homem conseguiu os melhores resultados...quando não dependia de dinheiro, de governo de lei, de direitos humanos, igreja( semen congelado!!)... Parece que onde há mais interferencia menos se constrói, menos alcançamos.
Meu Parabéns aos profissionais que não se deixam "ser e ficar "passíveis diante do que acreditam.
JInhussssssss



sexta-feira, 6 de março de 2009

Valores pessoais.

Primeiro, perdoem, pois andei sumida... Uma virose tomou conta do meu PC. A irônia disso é que, eu estava prestes a falar sobre a moda da 'virose' na área da saúde e a 'virose' na informática.
Mas hoje, queria deixar aqui postado um outro tema. Estava a ler no blog de um amigo, a respeito da volta do Collor, e a vergonha que sinto disso. Sentia-me orgulhosa de uma geração "cara-pintada", hoje envergonho-me dos caras de pau.
Porque tudo é uma questão de valores pessoais mesmo.
Um tempo atrás, conversava no meio da loja com uma cliente. Ela pagou e saiu. Voltei ao que estava fazendo antes da chegada dela. Uns minutos passado, vi meu gato Pedrokas correndo atrás de alguma coisa que mais parecia uma bolinha de papel. Estranhei, pois aqueles que o conhecem sabe que para ele começar a CORRER atrás de algo ,esse ALGO tem que chamar muito a atenção dele, pois é um preguiçoso. Fui ver do que se tratava... Uma nota de 20 reais dobrada em tamanho tão pequeno, que o amarelo da nota, chamava atenção do PEDROkas. Sabia que não era minha, sabia que era da cliente que havia saido. Desdobrei, vi que estava intacta,voltei a dobrar do jeito que estava e guardei. Passou a manhã, a tarde chegando, essa mesma cliente volta, para passar a hora enquanto esperava para pegar a filha na escola. E ja mandou: Hoje não foi meu dia. Acredita que sai pela manhã, e ao chegar em casa perdi os unico 20 reais que tinha ate o pagamento? Eu, muito séria, perguntei: "E se a pessoa que achou te devolvesse esse dinheiro?"... Ela nem pensou e já mandou( estava com a filha mais velha ao lado): "Se a pessoa que achou me devolvesse seria uma trouxa, pois eu não devolveria jamais! Afinal, achado não é roubado"!!! Juro que na hora, explodi numa gargalhada, que ela ria comigo sem saber o porque. Perguntei como e onde estava o dinheiro, ela descreveu que estava dobradinho e tal. As lágrimas ainda me rolavam no rosto, de tanto rir, quando peguei a nota ainda enrolada e coloquei na mão dela. Ela parou na hora, olhou pra mim envergonhada, não acreditando naquilo que estava acontecendo... Ela já a agradecer-me, e quando ia pedir desculpas pelo 'TROUXA' eu disse antes..." Não se preocupe,eu sou so MEIA-TROUXA ,a outra metade trouxa é meu gato, o peso do seu adjetivo foi dividido."
Não fiz isso para ser vista como uma pessoa maravilhosa, fora do comum. Fiz isso para ser avaliada como uma pessoa íntegra de valores corretos e coerentes. Mais ainda por ter feito isso na presença da filha dela, ela é a esperança da mudança futura. Por que não é anormal devolver o que não nos pertence. Não é anormal ser honesto.
Ontem fomos comer um lanche. Mãe, irmã filhos e sobrinhos. Cada um fez sua conta, e deu-me o dinheiro para pagar cada qual o seu. 35 reais, sobrariam 2. Chamei a mocinha, pedi que fizesse nossa conta, e todos ja se levantando, volta ela com o total : 27,00 reais. Não houve um minuto de duvida, olhei pra ela e pedi que refizesse a conta pois estava errada.M eu sobrinho de 9 anos me olhou e disse" Deixa ela cobrar 27, sobra mais"! Não respondi pois ela ja vinha voltando... "Desculpe e obrigada, na verdade o valor correto é de 30 reais". Devolveu-me 5,00. Quando ja estavam saindo, ja tinha feito e refeito a conta, sentei-me de novo e a chamei. "Desculpa querida, mas a conta continua errada..." Ela saiu e voltou com 2 reais de troco... "Se todos fossem iguais a você..." Nem respondi.
E todos, até meus filhos, a criticar-me, que eu tive duas chances de ter tido vantagem, mais me recusei... Burra, né?
Pois, o que fiz, não deveria ser considerado nada heróico ou fora do normal. Fiz meu papel de cidadã. Agi conforme minha natureza, conforme minha essencia, assim deveriam ser todos. Parei, olhei pra todos e disse: "Oi... não fiz nada demais! Fiz apenas aquilo que quero que todos que precisem do meu serviço na minha clínica e loja façam! Levo vantagem hoje... amanhã, na próxima esquina me é retirado o dobro! Não vou semear o erro, meus filhos me darão a colheita...Ser correto é ser NORMAL! Prefiro dizer que tive duas chances de ser HONESTA, de ser CORRETA, DUAS!!! Uma pelo meu filho e outra pela minha filha... Vou colher boas coisas, eu sei!!"
Vamos repensar nossos valores, vamos semear e colher um futuro melhor, sei que meu ato foi isolado, mas espero que consiga disseminar como as sementes pelos pássaros... Um dia, vira floresta... Sou otimista!
Jinhus (com saudades do meu blogg...)


sábado, 28 de fevereiro de 2009

Enganar e sobreviver.


Fico muito triste com isso... O tempo todo pessoas a enaganar-se para fazer um relacionamento sobreviver. Pessoas que constroem um castelo com montes de torres, com direito a princesa abanando um lenço numa delas. Uma onda, um vento mais forte, desmoronou... E mais uma vez, volta contruir seu castelo, no mesmo lugar, sem tantas torres. Mais um tempo, uma onda mais branda, um vento mais forte, e desmorona de novo. Passa mais um tempo, ainda estamos no mesmo lugar! Construindo qualquer coisa que mais parece uma oca ou um igloo, com apenas uma abertura. Não nos damos conta que estamos sempre a construir no lugar errado, onde a onda arrebenta. Onde o vento faz a curva mais forte. Mas insistimos, porque ali nos alicerçamos. A fundações estão ali, e um dia, começamos a questionarmos porque de nossa insistencia? Porque não mudamos para mais longe do mar? Porque não protegemos mais contra o vento? E quantas vezes nos damos conta disso tarde demais?
Minhas portas estão sempre abertas para ouvir. O que ouço, esqueço, mas não deixo de aprender jamais! 5 anos atrás conheci essa mulher. Descrevendo-a: Nada de bela, embora não fosse feia, falava muito do mesmo assunto tentando mostrar-se conhecedora do assunto e escondendo uma timidez, que para mim era nítida. Casada, 2 filhos. Eu sempre deixava ela falar, e falava com dominio aparente do assunto, que eu derrubava numa primeira pergunta mais profunda. Sentia-se feia pro marido LINDO que tinha. Um dia, cheia da razão iniciou o assunto a dizer que não aceitava... Que havia orado a Deus e não aceitava que o carro comprado pela familia em sei la quantas prestações com muito sacrificio, sem condições de pagar seguro, tenha sido furtado. Não, não aceitava aquilo de Deus. Se revoltou, falou, chorou... Por fim, eu que me mantinha ainda impassivel, disse a ela.. Olha, queria tanto ter esse problema... não quer trocar? EU ACEITO que Deus me tire o carro, se eu não precisasse ir para onde vou amanhã! E ela(achando que eu zombava) perguntou: Pra onde vc vai?... Amanhã estou indo pro isolamento do hospital do cancer, onde acontecera um Transplante de medula óssea...e eu aceito, porque se minha missão é estar lá, sei que Ele so escolhe os valentes!
Envergonhada, ela saiu. Passaram-se bons tempos. E uns dias atras a vi passar. Toda enfeitada, maquiada. Sexto sentido danado o meu... Ontem, sentada em frente ao ventilador ela entra. A dizer que ta numa fase de questionamento. Pois o marido, NUNCA havia dado tanta atenção a ela (jurava te-la ouvido dizer que ele era perfeito), que o marido já tinha deixado passar tantas oportunidades na vida por comodismo (Tinha a certeza de te-la ouvido fazer uma lista das qualidades de homem trabalhador)... Na cama, ele nunca a satisfez totalmente (ele era o vulcão)...
Fui direta, não gosto mesmo de rodeios. Perguntei-lhe se ao começar a trabalhar ela finalmente tirou o tapa olhos e enxergou o mundo... e que havia alguem que ela tinha encontrado. Ficou vermelha na hora. Reencontrara o primeiro namorado.
Bom, posto isso porque vim embora me perguntando porque ela se deixou enganar por tanto tempo por ela mesma? Para que sobrevivesse o que ?? E tentar convencer quem dessa fábula? Quem na verdade não se importa, a fazer aparencia pra familias e vizinhos... É lamentável! O tempo não volta atrás... Não há concerto para o que se deixou passar. Há mais fraturas e mais dores. Há inocentes!
Por isso, quero viver de realidade! Não me falem em ficção, quero auto biografias. Não aprendo com mitos, mas extasio-me com a 'Moral da história...'
Sou uma questionadora de plantão...
Jinhusssssssss

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Esse desconhecido amor...



Estava analisando.Em crônicas passadas eu falava da carência do ser humano de amor. Como isso vem diminuindo entre as pessoas. E de repente dei-me por conta lendo uma reportagem sobre o MADA( Mulheres que Amam Demais Anonimas).
Um grande paradoxo isso, afinal. Pois em um mundo onde achamos tanto desamor, de repente, deparar-se com um problema chamado " amo demais...", e aceitar que isso é uma doença.(!!!???)
Deveria existir um meio termo. Em tudo. O excesso de qualquer coisa é prejudicial.
Uma mulher que ama demais perde sua auto-estima. Perde sua meta, sua essência.
Lá vai uma história que venho acompanhando a anos: Uma mulher, hoje com 43 anos, bonita pra sua idade. Separada, dois filhos adolescente. Separou-se após anos sofrendo agressões fisicas do marido. Segundo ela, não o deixava por medo de apanhar mais, ela sendo só aqui em são Paulo, sua familia toda no nordeste.
Contou-me muito superficial sobre essas agressões. Em uma ocasião, chegou a desmaiar de tanto que teve a cabeça batida na parede.Que já começava a chorar ao ouvir o carro entrando na garagem. Foram anos de terror.
Tomou coragem, e um dia, foi a delegacia da mulher, deu parte do sujeito. Foi ameaçada, inumeras vezes, até que ele foi embora.
Esse trauma vivido, deixou nela sequelas psicologicas irreversíveis! E ela nunca se deu conta. Antes de se envolver com outro homem, buscava a ficha criminal dele, escondido, claro. E dizia que a maioria tinha uma ocorrencia ou outra. Que tinha o 'dedo podre' para escolher homens. Ate que um dia, encontrou um senhor viuvo, bem mais velho, aposentado. Hoje já deve estar com uns 60 anos. Dizia ela que ele parecia o homem perfeito. Incentivava-a a estudar, a tirar carta, a falar melhor ...
Mas ele era manipulado pela filha, pelo filho...e ela não suportava dividi-lo, queria estar com ele, mas os filhos dele sempre davam um jeito de arrumar algo na emergencia que tirasse ele de perto dela.
Bom, se é verdade ou não, não sei, estou postando o que ela me contava. Nunca se conformou, pois a filha era mãe solteira e deixava sempre o filho em casa para que ele cuidasse enquanto ela ia para as noitadas.
Nessa noitadas, a filha divertia-se, ela descontrolava-se ao telefone com ele, depois tomava diazepan para dormir, e no dia seguinte so sobrevivia com muito anti depressivo.
Dizia que não tinha força para deixa-lo, mesmo porque, se ele fosse embora, ela poderia arrumar outro que batesse nela como o primeiro marido.
Como ela sofria...de me ligar nas madrugadas...sempre tive medo dela fazer besteiras.
Bom, ando trabalhando muito, e nesses dois ultimos meses mau conversamos. Hoje ela apareceu aqui.
Com os olhos estatelados, e um teste de farmacia na mão...quero que faça pra mim...fiz...e?...POSITIVO.
Eu a abracei...ela chorou..disse que logo agora que tinha tomado a decisão de seguir sozinha...
Olhei seriamente pra ela...Respondi.." Independente do pai dessa criança, Deus arrumou uma forma de nunca estar sozinha...Daqui pra frente, terás um bom motivo para seguir em frente, porém , nunca mais estara só..."
Só hoje, ela ja me ligou 5 vezes...a perguntar-me.." Katia, e se..."..."Mas será que...", " Vc não acha que seria melhor...", " Qual a possibilidade de haver erro, porque.."
Não tenho todas as respostas, muito embora, o que mais peço a Deus é sabedoria e discernimento. Sofro e temo pelo medo de caminhos errados.
Mas hoje, só posso recorrer ao um grande e fiel amigo para as duvidas dela e minhas.. " O tempo...somente ele dirá..."
Jinhussssss


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Vida de mulher

Ontem, em pleno feriado, estava a ler uma crônica muito bem escrita por sinal, por um advogado aqui da baixada santista, Dr. Vicente Cascione. Escreve há anos cronicas para um jornal local.
Nela ele exaltava a mulher, numa clara homenagem a nós, que temos de longe a responsabilidade de gerar, alimentar, uma vida em nosso ventre. O que seriam dos homens sem a força da mulher em aguentar um parto para colocar no mundo os homens?
Que, com toda força que tenha, seria incapaz de aguentar a dor do parto, e carregar 9 meses um novo ser em seu ventre sem deixar de ser profissional, mulher, amigas, e ter o previlegio do sexto sentido que nos foi dado por merecimento?!!
Quem acompanha meu blog, sabe que não sou feminista nem levanto bandeiras, mas achei a cronica escrita com muita sensibilidade, ja que partia de um homem.
Nele, ele citava o homem como o ser cheio da força bruta, com suas conquistas e invenções... mas limitava essas conquistas a sua força física e á inteligencia que nos difere dos demais animais.
Comentava sobre o Rei da selva, Tarzan, que com seu grito espantava inimigos... com sua força, conquistava territórios, defendia sua casa.
E quanto a sua comapnheira Jane? O que dela se dizia? Ora, se ele saia, a caçar, a defender o território, ela ficava exposta a ferozes animais selvagens. Alguém já parou pra pensar quantas vezes ela precisou de usar seu sexto sentido, e afugentar o perigo que rondava seu lar? Quantas vezes após uma conquista ou uma batalha, ela aninhou e acarinhou aquele homem em seus braços? O quanto deveria ser reconfortante para esse homem voltar para sua casa e ter uma mulher a sua espera, para ser cuidado, amado?
Paralelo a essa cronica, lembro de ter lido outra cronica de Arnaldo Jabour, sobre o que é ser um Mulherão.
Um mulherão não é aquela mulher de corpo perfeito, de cabelos impecáveis, que faz dieta a vida inteira, que não se deixa acarinhar para não despentear seus cabelos que acabou de ser arrumado no salão. Mulherão, não é quela mulher que só come comidas light e diet, que faz dietas e fazem seus maridos acompanhar. Mulherão não é aquela muher que exige uma plástica por ano para não ter críticas de amigas.
Ele define mulherão, como aquela mulher que acompanha seu parceiro no chopp do fim de semana. Que não se importa de sair na chuva para não embaraçar os cabelos, dizendo ele, acha muito sexy uma mulher de cabelos molhados, o senso de humor que tem, faz com que esqueça os quilinhos a mais que muitas vezes somente ela vê.
E já vai longe aquela história de que por trás de um grande homem, há uma grande mulher! Já está mais do que provado, que uma grande mulher anda ombro a ombro com seu companheiro. Que luta pelo dia a dia a dois, que defende seu lar com a garra e a sensibilidade que a nós foi dada.
Podemos viver sós, acompanhadas, mas seja qual for a escolha feita, temos competência de sermos. Somos leais a nossos valores, até que nos provem o contrário.
Estatisticamente , quando um relacionamento acaba, não por traição de alguma das partes, o homem é sempre o primeiro a arranjar uma nova companheira, seja essa para aquecer sua cama, lavar suas roupas, fazer sua comida... Falo de amantes, mães e empregadas que eles de cara são obrigados a ter.
A única coisa ruim no 'ser mulher' é a doação que fazemos de nós mesmas em prol da vida a dois, em prol do parceiro. Se alguém tiver que abrir mão de algo, sempre será a mulher. Mas a natureza feminina explica isso. A sensibilidade e a certeza que abrir mão não significa anular-se, mas sim, adiar temporariamente um sonho, somente nós mulheres, podemos carregar.
Nossas frustrações muitas vezes torna-se depressão. Que fragilizadas, deixamo-nos entranhar.
Deixo aqui postado hoje, minha admiração a essas mulheres, maravilhosas, que fazem da vida do seu parceiro, a diferença do seu dia a dia.
Parabéns a nós!!! Com meu sincero orgulho de me encaixar no padrão de "uma grande mulher"!
Jinhusssssss



Afinal é carnaval!


Queria postar algo alegre, afinal, é carnaval !!''..diz uma samba enredo: " ..e nesse dia ninguém chora..."
Porque? É cultura, explosão e paixão. Orgulho de um país, de uma nação. Nosso povo formado por uma mistura de raça, cultura, costumes...um país aberto a tantos e todos. Cada um acha-se um pouquinho daqui ou um pouquinho aqui.
E vem aos milhares ' ..para ver a tribo se balançar, o chão da terra tremer...".
E o encanto leva mulatas maravilhosas juntos com escolas de samba completa para apresentação em seus países. Nossa alegria exportada...a beleza e sensualidade exportada...mas essa última, confundida e rimada com 'explorada'
Portanto, somos exportadores de samba, mulatas e futebol. E importadores de culturas e adaptações á hábitos em nome de algo que nem sabemos muito bem o que significa...Um exemplo: " Haloween" .
Até quando precisaremos de misturar nossa cultura para sermos melhores vistos??
'Gigante pela própria natureza.." e esse ser gigantesco tem que se dobrar por dividas externas, adquiridas no Brasil-colônia.
Engolirmos que fomos " descobertos'...Não! Definitivamente Não...Aceitável dizer que fomos aprimorados e aprimoradores de uma cultura. Não fomos descobertos. O Brasil sempre existiu. SEmpre cá esteve. E desde seus primordios foi defendido com unhas e dentes contra exploração ...de um ou outro país...por interesse proprio...
Para hoje sermos discriminados. Afinal, Pra cá eram mandados todos aqueles que cometiam infração grave em seu País..Eram mandado para ' o quinto dos imfernos'...o quintal do mundo...
'Mas se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge á luta, nem teme quem te adora á própria morte...Terra adorada..."
Será que ainda encontramos brasileiros a essa altura? Tenho orgulho de ser brasileira, da minha terra, da minha gente.
Sei que por vezes o que a mídia 'exporta', é sempre o pior...mas a própria mídia é incapaz de passar o calor humano e a alegria da qual desfrutamos, e não nos importamos em dividir.
Venham de onde vier.Cheguem de onde chegar...Sejam bem vindos, somos anfitriões da alegria ...simpatia ...oportunidade.
Jinhusss (verde e amarelo)




segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Não passei na fila...


Costumo dizer que antes de vir ao mundo não passei na fila disso que chamam timidez. Nem sei o que é isso. Não me lembro de ter vivido uma situação que tenha deixado-me encabulada ou envergonhada.
Na faculdade, lembro-me dos seminários que apresentava.Um grupo inicial de 8 pessoas, uma trocava slides, outra segurava cartazes, enfim... o conteúdo verbal era sempre meu, o seminário todo.
Numa dessas ocasiões, já no 4º ano, nosso tema era sobre mitilicultura (criação de marisco no litoral). Nosso grupo era formado por 3 pessoas que desde o primeiro ano estavam juntas. Chegou-se a nós 2 garotas, que eram extremamente tímidas, pedindo para fazer parte do nosso grupo.Elas simplesmente não conseguiam falar... por mais que decorassem o texto, na hora, sempre travavam, dava branco.
Lembro-me até hoje, que o professor obrigava todos os componentes a falar, caso contrário, o grupo seria penalizado. Por isso, as meninas pediram para entrar no grupo, já que os demais grupos não entendiam esse problema sério delas. As outras duas, de cara, disse que não, pois certamente nossa nota (que em seminário sempre foi uma das melhores) cairia.
Fui para casa sentindo-me mal. Sabia do problema delas, também sabia que ambas precisavam de notas, e depois de tantos anos, sabia que ambas tinham problemas serios em se expressar, mas, era voto vencido, fazer o que?! Duas contra uma. Pior, caberia a mim, comunicar no dia seguinte que nós não a aceitariamos no nosso grupo.
Tentei colocar-me no lugar delas, mas confesso que não via dificuldades em falar em público, mas não faz parte da minha personalidade deixa-las na mão. Afinal, a vida é como uma roda gigante, hoje tamos lá em cima, mas poderia mais tarde precisar dela, afinal, no campo profissional, ninguém sabe o dia de amanhã.
Estudei o trabalho a noite inteira... tentei achar uma forma de encaixa-las. La pelas 3 e tal da manhã surgiu-me uma idéia, que a mim, pareceu bem original, e resolveria esse problema.
Existe a distinção sexual do marisco macho e do marisco fêmea. Podíamos elaborar uma fantasia de marisco macho e marisco fêmea, colar por dentro da fantasia a fala de cada uma, onde ao abrir e fechar suas valvas (como se estivessem falando) elas demosntrariam sem olhar para ninguém, ocultas pela fantasia, salientando essas diferenças. Cheguei cedo, com a figura da distinção sexual de cada um dos mariscos e expus minha idéia para as outras.
A princípio, elas acharam que a apresentação viraria um circo, não seria levada a sério, mas argumentei em cima do fator 'criatividade', e elas se convenceram. Ufa! Primeira parte ok. Esperei pelas outras duas... expus meu plano, elas se riam, não estavam acreditando naquela maluquice. Mas enfim, depois de entenderem que minha proposta não era ridiculariza-las, mas sim, com criatividade ajudá-las, não tiveram muita escolha.
Foram duas noites elaborando e salientando a diferença entre cada marisco. Elaborei um diálogo entre elas, e colei na parte de dentro na altura dos olhos de cada uma.
Bem, começou nossa apresentação, a três... cada uma a falar de uma caracteristica, sazonalidade, tecnica de cultivo, mapas dos locais, interferencia da mare.
E chegou a grande hora... Onde eu dizia, que existia esse dismorfismo e caracteristicas que seriam apresentado pelas outras componentes. Abri a porta da sala, e as guiei ate o centro...
Não tiveram a menor dificuldade em coordenar as falas , o abrir e fechar das valvas...resultado: após alguns risos iniciais, o silencio tomou conta da sala, o pessoal não acreditava no que via.
Aplausos de pé, e... nota 10.
Hoje, lembrando disso, confesso que ainda acho muita graça, mas sinto-me bem por de alguma forma te-las ajudado a superar nem que momentaneamente algo tão sério.
A partir dali, comecei a respeitar ainda mais isso que chamam de TIMIDEZ.
A encarar como um problema que pode afetar diretamente a vida de uma pessoa. Elas iam desistir, coitadas, mas se formaram! Não comigo, na primeira turma.. uma demorou dois anos depois, e outra pediu transferencia para outra universidade e hoje não tenho notícias.
Nunca tive problemas em falar em público, e falar com pessoas desconhecidas, a brincar com quem não conheço...
A expor meus sentimentos de uma forma nua e crua- certo que nem sempre isso é bom, a total ausência da timidez também não é boa.
Falo fácil demais sobre o que sinto, sobre o que penso... Só tomo cuidado para que o meu falar nao ofenda ou magoe a quem me ouve, pois de resto, expresso-me de forma livre, sem pudores.
Dizem que timidez é uma especie de insegurança, Uma especie de repressão, uma especie de disturbio que pode levar a fobia social...
Dizem, leio... mas não provei, não sei bem do que falo... e o mais importante, que passei isso aos meus filhos como herança. Sei que nenhum deles tem medo de expressar sua indignação perante a uma injustiça, ou expor um trabalho bem estudado a frente da classe.
Por fim, no ultimo ano, fomos chamado pelo professor mais 'ranheta' que tinhamos, a falar sobre Ranicultura como seminário, mas tendo que apresentar para todos os alunos desde o primeiro ano, no auditorio da faculdade. Aquelas duas , sempre comigo, tremeram na base... Eu adorei o desafio. Fui a fundo no tema. Amei aquilo!
E por fim, mais um 10. O professor levantou-se e disse a todos, em especial aos calouros... Exijo esse n´vel de apresentação em todos os meus seminários. Que sirva como exemplo.
São lembranças gostosas, mas penso em quantas pessoas timidas que teriam problema para uma simples apresentação...
Perdoem o tema, desconheço, mas essa história foi de puro saudosismo.
JInhusss